Taxa Selic o que é? Como influencia no mercado imobiliário?

Você já deve ter ouvido falar sobre a taxa Selic, não é mesmo? De vez em quando, ela ganha destaque nos noticiários econômicos. Mas você sabe o que é taxa Selic? Ao contrário do que as pessoas imaginam, entender esse conceito não é algo destinado apenas aos economistas, uma vez que a taxa Selic influencia a oferta de crédito ao cidadão comum.

451642-PEZYQN-621

Se você quer aprender mais sobre esse tema, bem como de que forma essa taxa afeta o mercado imobiliário, basta ler este artigo!

Afinal de contas, o que é a taxa Selic?
Selic é uma sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Essa taxa foi criada em 1979, com o objetivo de tornar mais transparente e segura a compra de títulos públicos. Os títulos públicos, por sua vez, são ativos que o governo vende para poder financiar a dívida pública. Quem os compra empresta dinheiro ao governo e, em troca, recebe rendimentos por essa aplicação.

Todos os dias, os bancos realizam milhões de transações financeiras (depósitos e saques). Existe um valor mínimo que um banco deve manter em caixa, mas, para evitar que falte de dinheiro, é comum que os bancos emprestem capital entre si, no final do expediente, para equilibrar as contas.

Esse empréstimo dura um dia, e os bancos dão como garantia os títulos públicos que têm. Obviamente, o banco que tomou o empréstimo precisa pagar juros à instituição que emprestou a quantia. A taxa Selic é que define o valor dos juros desse empréstimo entre bancos.

Por fim, o Comitê de Política Monetária (COPOM) estabelece uma meta para a Selic: ela não é imposta, como muitos imaginam.

Viu como não é complicado saber o que é a taxa Selic? Então, vamos ver como ela impacta o mercado imobiliário.

Como essa taxa altera o mercado imobiliário?
Comprar um imóvel é um grande investimento financeiro. É normal que as pessoas precisem de crédito para poder realizá-lo. Toda a vez que a taxa de juros do empréstimo entre os bancos (Selic) sobe, as outras linhas de crédito também se tornam mais caras.

Sendo mais caro obter um financiamento, é provável que a procura por imóveis diminua, o que ajuda a baixar o preço dessas propriedades — ou, pelo menos, evitar que continuem subindo.

Por outro lado, se a Selic estiver menor, torna-se mais barato obter um financiamento, a procura por imóveis cresce e, consequentemente, casas, terrenos e apartamentos podem se tornar mais caros.

A Selic altera a compra de quem paga à vista?
Sim. Com mais ou menos pessoas obtendo crédito, a procura imobiliária é alterada, e isso pode abrir oportunidades para quem já tem o capital necessário para investir. Nesse contexto, comprar um imóvel à vista pode ser mais fácil se a Selic estiver alta.

Ademais, percebemos que essa taxa ajuda a conter a inflação. Por isso, ainda que você não tenha planos de comprar nada, saiba que o seu dia a dia será impactado pela Selic.

Agora que você entendeu o que é taxa Selic, ficou mais fácil compreender como esse tema muda o seu dia a dia, não é verdade? A queda da Selic pode indicar um bom momento para comprar uma casa, mas existem outros sinais que revelam se o período é adequado para realizar o melhor negócio.

Fonte

Financiamento de terreno é igual ao de imóveis?

Conheça as diferenças de contratar um financiamento de terreno em relação ao de imóveis na planta e já construídos.

Sunrise in beautiful park

Ao contrário de muitas pessoas que dão preferência por comprar um imóvel na planta ou já em construção, algumas preferem adquirir o terreno para construir algo no espaço. Diante dessa situação, pequenas dúvidas acabam surgindo sobre as etapas do financiamento e quem pode solicitar o crédito.

Caso a área esteja localizada em regiões urbanas, é possível dar entrada no financiamento de terreno de forma rápida e segura. Conheça, a seguir, mais informações sobre como executar esse processo e suas principais vantagens.

Como funciona o financiamento de um terreno residencial?

Antes de mais nada, saiba que, para comprar um terreno financiado, o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) não pode ser usado. Dessa forma, somente recursos provenientes do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) e das próprias instituições bancárias podem ser disponibilizados nesse processo.

Vale lembrar que o limite de valor a ser financiado é de R$ 950 mil em Minas Gerais, São Paulo, Distrito Federal e Rio de Janeiro, e de R$ 800 mil nas demais regiões do país. Tal regra é semelhante ao do SFH (Sistema Financeiro da Habitação) e é válida para quem irá solicitar o SBPE em algum banco.

O limite de parcelas do financiamento de terrenos varia de acordo com cada instituição, sendo que geralmente é aplicada a mesma regra de imóveis comerciais (10 anos e taxa de juros maior). Contudo, nessa situação, o valor dos juros tende a ser relativamente mais alto em relação aos imóveis já prontos, e o limite de crédito fornecido gira em torno de 70% do valor da área.

Agora, caso a instituição financeira faça uso de seus próprios recursos ao ceder os financiamentos, os juros cobrados mensalmente tendem a ser ainda mais elevados. Por isso, caso escolha essa opção, analise e verifique se vale a pena ou não solicitar a quantia necessária.

Quem pode financiar a compra de um terreno?

Existem alguns critérios a serem analisados pelo credor antes de disponibilizar o crédito ao solicitante. Isso garante maior segurança para ambas as partes e, no caso do cliente, menos dificuldades durante o pagamento das parcelas. Confira!

– Pessoas maiores de 18 anos;
– Comprovante de renda mensal familiar e, a partir daí, verificar qual será o limite de crédito disponibilizado;
– Ter nascido no Brasil ou ter cidadania brasileira;
– Fazer a contratação dos serviços de seguro oferecidos pela instituição;
– Sua idade somada à quantidade de anos de duração do financiamento não pode exceder 80 anos e meio.

O passo a passo para financiar um terreno

Caso decida fazer um empréstimo para compra de terreno, faça uma análise de todas as instituições bancárias que concedem esse tipo de crédito. Ao realizar essa tarefa, conte a Melhortaxa e toda a assistência oferecida para você encontrar as taxas de juros de acordo com seu perfil.

Escolhido o credor ideal, entregue a documentação exigida e espere a instituição analisá-la e verificar se está tudo em ordem. Isso é importante pois, nessa etapa, o órgão responsável por conceder o crédito irá consultar sua renda mensal e se não possui o nome sujo.

Por fim, após o banco aprovar o financiamento, basta escolher o terreno, assinar o contrato de compra e venda e registrá-lo em um cartório. Assim, imediatamente, será depositada em sua conta a quantia solicitada e as parcelas começam a correr.

Vantagens de adquirir um terreno

Conforme mencionado acima, os juros do financiamento de terreno geralmente são mais mais elevados em relação ao crédito para a compra de imóveis na planta, novos e seminovos. Contudo, existem diversas vantagens de adquirir um lote de terra e, posteriormente, construir algo nele.

A princípio, ao solicitar o financiamento, geralmente o crédito não costuma demorar muito até ser liberado. Isso acontece, pois como se trata de um imóvel já construído, é feita uma avaliação em toda a propriedade com o intuito de verificar se não há nenhuma falha estrutural. Por ser um processo demorado, isso acaba atrasando postergando a liberação do empréstimo.

Nos terrenos, não necessariamente precisa ocorrer uma vistoria, pois ali não há nada construído. Entretanto, a metragem mencionada no ato do financiamento precisa estar idêntica àquela citada em sua escritura. Ainda, o valor do crédito é mais fácil de ser calculado, já que não é preciso fazer a conta de quantos metros quadrados estão construídos.

Fonte

Trocas de imóveis em alta no mercado imobiliário

O brasileiro, como sempre, busca alternativas para driblar a crise e com o mercado imobiliário não seria diferente.

Hand agent with home in palm and key on finger.

Além de ter diversas particularidades, este mercado exige que a economia esteja gerando empregos e com estabilidade para ser impactado de maneira positiva. O mesmo vale com o mercado desaquecido que diminui o crédito, aumenta os juros e complica a situação de quem quer comprar.

Dito isto, temos a troca em negociações imobiliárias com alta procura. Isso significa que se a pessoa não consegue vender o seu imóvel para efetuar uma outra aquisição, ela prefere encontrar alguém que aceite seu imóvel como parte de pagamento e assim consegue atingir seu objetivo.

Seja para quem esteja com dificuldades financeiras ou para quem aumentou a família e precisa de um local maior, a troca é sempre bem vinda. Conhecida como permuta imobiliária, ela acaba sendo um pouco mais complexa pois depende da pessoa que tiver interessada pegar o seu imóvel como parte de pagamento.

Um dos maiores problemas nesse caso é a excessiva valorização do imóvel por uma das partes e que normalmente desvaloriza o que estiver comprando para obter vantagens. A verdade é que hoje os valores de mercado são de fácil acesso e é necessário existir bom senso de ambas as partes para que o negócio aconteça.

O corretor imobiliário, que atua como o intermediário da situação, tem meios e maneiras de avaliar ambos os imóveis de maneira técnica a fim de fazer a transação de forma “justa” para ambos os lados.

Devemos entender também que muitas vezes uma das partes, devido a estar com a situação financeira “apertada”, acaba cedendo na negociação. É bom lembrar que isso é uma situação específica. A troca de imóveis deve ser vista de maneira positiva, trazendo uma outra opção aos que querem pegar o valor para investir em um outro imóvel.

Nos últimos anos a oferta de imóveis estava bem maior que a demanda, assim sendo podemos entender que as chances de encontrar um imóvel dentro do que procura para permuta e que aceite o seu como garantia aumenta nesses casos.

Entendendo os perfis de quem está negociando, ambas as partes estando com as documentações e certidões dos imóveis em dia, será favorável para que o negócio seja concluído em segurança e que o objetivo final seja alcançado.

Como a tendência para 2019 é um aquecimento nesse mercado, devemos observar uma procura menor por permuta e maior para a venda direta. De qualquer forma esta modalidade não deixa de ser importante para o complexo mercado imobiliário.

Além de driblarmos as dificuldades, não desistimos nunca!

Fonte